Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 13/07/2012

Seminário Internacional Políticas Públicas, Sexualidade e Cidadania LGBT

Por Renata Sequeira

Destaque foi a palestra da pesquisadora americana Dagmar Herzog

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, por meio da superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, e o Consulado Geral dos Estados Unidos, organizaram na tarde desta quinta-feira, dia 12, o primeiro seminário internacional sobre Políticas Públicas, Sexualidade e Cidadania LGBT. O destaque ficou por conta da pesquisadora americana Profª Dagmar Herzog, que ministrou a palestra “O Contexto da Política Sexual Global Hoje”, no auditório da SEASDH, na Central do Brasil. A mesa de abertura contou com a presença do secretário Antonio Claret e do superintendente Cláudio Nascimento.

“O Estado do Rio de Janeiro assume um lugar de vanguarda na garantia dos direitos em suas mais variadas vertentes e, para garantir a inclusão de todos, não basta termos uma agenda que se renova a cada passo. Precisamos ter uma postura que nos faça olhar adiante e não ficar satisfeitos com o que foi conquistado. Esse é o espírito do Estado do Rio. Vivemos um momento importante, no qual reunimos, em uma mesma ilha de trabalho, as esferas de governo, em uma perspectiva de juntar o poder público para enfrentar os problemas do nosso Estado. O desenvolvimento social e a garantia de direitos, como a superação de preconceitos, não pode ser uma iniciativa de apenas uma esfera de governo ou de um movimento social isolado. Temos que, juntos, pensar naquilo que nos une para alcançar nossos objetivos”, comentou o secretário Antonio Claret, que também destacou a importância do programa Rio Sem Homofobia, referência em todo o país.

“A linha de atuação do Governo do Estado, especialmente em relação à orientação sexual, é um exemplo para o país de que é possível avançar na garantia dos direitos civis e da liberdade individual e ainda a possibilidade da pessoa definir seu destino, aquilo que é valorizado na vida de cada um. A SEASDH também faz um trabalho em relação à orientação religiosa, garantindo a todos a liberdade de culto. Precisamos garantir a liberdade individual e o respeito à escolha de cada um”, completou o secretário.

Dagmar Herzog conheceu a sede do programa estadual Rio Sem Homofobia, na parte da manhã, onde participou de uma capacitação junto aos técnicos, advogados, psicólogos e assistentes sociais, que trabalham nos quatro Centros de Referência de Combate à Homofobia e Promoção da Cidadania LGBT (CR LGBT) que funcionam em Niterói, Duque de Caxias, Nova Friburgo e a sede, na Central do Brasil. Dagmar trouxe para o debate o contexto atual dos Estado Unidos na execução de políticas de garantia de direitos, não apenas LGBT, mas relacionado também à sexualidade.

“Os Estados Unidos vivem uma grande contradição em sua cultura: ao mesmo tempo em que parece ser uma sociedade liberal e que avançou, nos últimos 15 anos, é a mesma que valoriza a abstinência, principalmente por parte de uma parcela significativa da população mais jovem. Isso esbarra em uma questão extremamente importante: os direitos sexuais são, ao mesmo tempo, preciosos e contestados”, declarou Dagmar, que também comentou sobre a importância desse tema nas eleições que vão acontecer nos Estados Unidos este ano.

“Esse tema da sexualidade e dos direitos da população LGBT é tão importante que vai ser decisivo para as eleições desse ano. O atual presidente, Barack Obama, declarou ser favorável ao casamento homoafetivo, mas há uma corrente, extremamente forte, que promove uma contra revolução àquela que vivemos nos anos 60. Nesse ponto, o Brasil e o Governo do Estado do Rio de Janeiro, especialmente, têm muito a nos ensinar e eu vou levar esse conhecimento para os Estado Unidos”, concluiu Dagmar.

Dagmar Herzog é professora de História do Centro de Estudos de Pós-Graduação da City University of New York (CUNY), onde detém a Cátedra Daniel Rose. Formou-se summa cum laude em Ciência Política e Literatura Francesa pela Duke University, e obteve seu mestrado e doutorado em História pela Brown University. Suas áreas de especialização incluem, entre outras especializações, a política sexual no contexto global, identidade sexual, estudos de gênero, revolução sexual e homossexualidade. É autora de vários livros e também editora e co-editora de seis antologias, e autora de mais de 150 artigos acadêmicos, publicados em periódicos especializados, anais de conferências ou como capítulos em coletâneas nos EUA, Canadá, Inglaterra, Alemanha, Áustria, Suíça, França, Itália, Holanda, Bélgica, Dinamarca e Hungria.

“A professora Dagmar Herzog é uma referência internacional quando pensamos a relação entre sexualidade e política. É uma honra recebê-la na sede do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, principalmente por podermos trocar experiências e conversar sobre teoria e prática na implantação de políticas públicas voltadas para LGBT. A presença do secretário Antonio Claret nesse evento sinaliza que a questão da cidadania LGBT é uma das prioridades da sua gestão e da importância que essa temática assumiu no Governo do Estado”, explica o superintendente e coordenador do Programa Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, que também falou da importância dessa aproximação com o Consulado Geral dos EUA, que “é de grande valia para aprofundar o conhecimento e gerar uma maior aproximação entre os dois países e especialmente entre os estados americanos que têm políticas públicas voltadas para a cidadania LGBT”.

A palestra foi aberta ao público e contou com serviço de tradução simultânea. O evento teve ainda a participação de Regina Henriques, sub-reitora de Extensão e Cultura da UERJ, Almir França, coordenador do Centro de Referência da Cidadania LGBT e Sara Mercado, adida de Imprensa do Consulado Geral dos Estados Unidos.