Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 20/10/2015

Casais participam de audiências de conversão de união estável em casamento civil

Atividade faz parte da preparação para a 6ª cerimônia coletiva de casamento homoafetivo, que acontecerá em dezembro

Na última sexta-feira, 23 de outubro, cerca de 80 casais homoafetivos compareceram às Varas de Família do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) com um mesmo propósito: converter suas uniões estáveis em casamento civil. Todos os casais estão inscritos na 6ª cerimônia coletiva de casamento homoafetivo, que será realizada em dezembro, e a audiência coletivas é mais uma etapa na preparação para o grande evento, uma realização do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, em parceria com o (TJ-RJ).

A ansiedade e a emoção tomava conta dos corredores do TJ, com a presença dos casais, familiares e amigos. Flávia Gonçalves dos Santos, 34 anos, e Carolina Carmo de Souza, 29 anos, são de Fonseca, em Niterói, e formam um dos casais que participaram da atividade. “Estamos juntas há 10 anos e está na hora de oficializar nossa união! Além disso, estou fazendo concurso público e quero que ela tenha todas as garantias e direitos assegurados”, conta Flávia. O apoio da família à união delas é integral: “se a gente deixasse, estaria todo mundo aqui!”, se diverte Carolina.

“A 6ª cerimônia coletiva de casamento homosafetivo tem tudo para bater mais um recorde de participantes e o Rio Sem Homofobia, junto com seus parceiros, está a todo vapor com os preparativos do evento. Essa é mais uma etapa, de extrema importância, quando os casais puderam oficializar sua conversão e dizer ‘sim’ para o juiz! No dia da cerimônia, será a vez de receber suas certidões e celebrar com todos os presentes. É uma celebração não apenas de uma união. Celebraremos, mais uma vez, a conquista desse direito básico”, comenta o coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, superintendente Cláudio Nascimento.