Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 02/07/2015

Rio Sem Homofobia, Segurança Pública e movimento LGBT da Região dos Lagos se reúnem para fortalecer combate à homofobia na região

Ontem (01), o coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia e superintendente de Direitos Individuais Coletivos e Difusos, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento, acompanhado da assessora técnica do programa, Dayana Gusmão, esteve em Cabo Frio, na Região dos Lagos, para uma reunião com lideranças do Movimento LGBT de oito municípios da região, representantes da Secretaria de Estado de Segurança Pública, da Policia Civil do Estado do Rio de Janeiro e da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. O encontro foi realizado na 25º AISP.

A reunião, organizada pela SEASDH e pela SESEG, teve como objetivo principal ampliar e fortalecer os laços de articulação entre os órgãos de segurança locais e os ativistas da região, em ações de enfrentamento à discriminação e à violência  contra a população LGBT, em virtude de sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Os ativistas falaram de suas preocupações em relação à homofobia nessas cidades, trazendo casos concretos de discriminação e violência. Os delegados de polícia e os comandantes presentes ao encontro ouviram atentamente as demandas e se comprometeram  em dar retorno a cada uma delas.

"Essa reunião solidifica a posição adotada por este Comando, que tem como bases fundamentais a proximidade e o diálogo, para o entendimento e a consolidação do respeito à todos os segmentos da sociedade. O encontro foi proficiente para o início da tomada de atitudes, para que possamos modificar a cultura da falta de respeito", comentou o coronel Ruy França.

Para Cláudio Nascimento, o encontro foi determinante para o combate à homofobia na Região dos Lagos: “a reunião foi muito importante e tenho certeza que avançaremos mais na prevenção e no combate a discriminação após esse encontro".

Foi acordado que, até o fim do ano, todo efetivo do Batalhão será capacitado para prestar um atendimento adequado à população LGBT. Uma nova reunião, ainda sem data, será realizada para tratar do projeto.