Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 02/02/2015

Reunião alinha policiamento preventivo e diferenciado para o público LGBT no Carnaval

Proposta é alinhar o planejamento das polícias civil e militar com o programa mapeado pelo Programa Rio Sem Homofobia 

 

O superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, esteve reunido com Tatiana Curi, coordenadora geral de Ações Institucionais e Comunitárias da Superintendência de Prevenção da Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção (SSEVP) da Secretaria de Estado de Segurança; o delegado José William de Medeiros, do Departamento Geral de Polícia do Interior; delegado Carlos Augusto Leba e o capitão Beltran, representando a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e demais representantes da polícia civil para tratar sobre o policiamento preventivo e diferenciado para a população LGBT no carnaval.   

Durante o encontro, a equipe técnica do Programa Rio Sem Homofobia apresentou o calendário de eventos com maior concentração de público LGBT agendados para o período do Carnaval e também foram mapeados os municípios que devem receber mais atenção. A ideia é que a polícia possa alinhar seu planejamento a partir da  proposta apresentada, a fim de repetir as ações já realizadas nos anos anteriores. 

Cláudio Nascimento ressaltou a importância da integração com a Polícia Civil e explicou que o policiamento especial integra uma série de ações para o Carnaval: "Há sete anos o Governo do Estado, através do Programa Rio Sem homofobia, alinha as ações da Polícia Civil, Militar e da área de direitos humanos para, justamente, construir uma estratégia de policiamento preventivo e diferenciado no carnaval LGBT do estado e também construir uma força tarefa para atendimento aos casos de violência que ocorrem nesse período. Esse encontro foi importante pois avaliamos como ocorreu a ação no ano passado e o que podemos fazer neste ano. A campanha é um tripé de ações onde a primeira parte é o policiamento especial em que a gente faz o levantamento de todos os locais de frequência LGBT para que a polícia possa planejar o seu trabalho numa perspectiva de proteção para esta população. A segunda parte é uma ação pedagógica de orientação à comunidade LGBT e à sociedade como um todo, e até os próprios policiais, sobre a campanha de Carnaval falando dos diretos e o que fazer em casos de  violência. A terceira parte são os serviços do Rio Sem Homofobia que, durante este período, trabalham em esquema de plantão". 

Tatiana Curi ressaltou: "entendendo a política de segurança como central na proteção destes direitos da população LGBT, o alinhamento do planejamento se faz fundamental exatamente porque a coordenação da pasta LGBT junto com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos e o Programa Rio Sem Homofobia, que tem informações mais aprofundadas e detalhadas da dinâmicas desses grande eventos para poder passar e auxiliar a construção estratégica junto com nossas polícias, junto com a gestão da segurança pública. Esse passo é fundamental porque garante uma eficiência maior na qualidade do trabalho de forma integrada e intersetorial". 

Além da equipe técnica do Programa Rio Sem Homofobia, também participaram da reunião representantes da Polícia Civil e Polícia Militar, o coordenador do Disque Cidadania LGBT, Alexandre Castilhos e a coordenadora do Centro de Cidadania LGBT da Capital, Sheila Corrêa. 

 

Fotos: Amanda Santos

Informações para a imprensa

ASCOM / SuperDir – Programa Estadual Rio Sem Homofobia

Tels: 21 2284 2475 / 9 8158 9715

Márcia Vilella | Natália Vitória | Letícia Reitberger – Target Assessoria de Comunicação