Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 30/01/2015

Lançamento de ação educativa marca o Dia Nacional da Visibilidade Trans no estado

Ação Educativa de Visibilidade e Cidadania Trans foi lançada quinta-feira (29) durante evento no Teatro Alcione Araújo da Biblioteca Parque Estadual

 

O Dia Nacional da Visibilidade Trans, celebrado na última quinta-feira, 29 de janeiro, foi marcado pelo lançamento da Ação Educativa de Visibilidade e Cidadania Trans no Teatro Alcione Araújo da Biblioteca Parque Estadual. Com o lema “Respeitar é... reconhecer que as pessoas são diferentes e ao mesmo tempo são iguais em direitos”, a ação foi lançada pelo Programa Estadual Rio Sem Homofobia, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), e pelo Conselho dos Direitos da População LGBT do Rio de Janeiro.

A ação tem como protagonistas 18 pessoas, entre homens e mulheres trans e travestis, que se disponibilizaram, voluntariamente, a participar como modelos da campanha com o objetivo de visibilizar cotidianamente a luta das pessoas trans, pelo respeito e o acesso aos seus direitos. Entre os participantes há musicistas, atores transformistas, cantoras, professoras, gestoras, profissional liberal, militar, entre outras.

Durante o evento, o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, apresentou a campanha juntamente com o presidente do Conselho dos Direitos da População LGBT do Rio de Janeiro, Julio Moreira, e a conselheira Mariah Rafaela. O público assistiu o making of da ação educativa e conheceu os materiais gráficos, que incluem banners,  100 mil folders e 25 mil cartazes que serão distribuídos em órgãos públicos como hospitais e escolas de todo o estado. Esta é a primeira vez que o Governo do Estado / Programa Rio Sem Homofobia realiza uma campanha específica para promoção da visibilidade de travestis, homens e mulheres trans.

Atrações culturais também foram destaque da programação do evento, como a atriz e cantora Jane Di Castro, que interpretou composições Cazuza e Charles Aznavour; performance de Denise Taynáh; e as musicistas Kathyla Katheryne e Vivian Fróes. O estilista e ativista LGBT Almir França comandou, no palco, uma roda de conversa com a presença de travestis e homens e mulheres trans que participaram da campanha. O lugar de honra reservado às autoridades contou as presenças da secretária de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Teresa Cosentino; Vera Schroeder, superintendente de leitura e do conhecimento da Secretaria de Cultura; Lívia Cásseres, defensora pública do NUDIVERSIS; Dino Jr., da secretária de Esportes e Lazer; Maria Aparecida, diretora de ensino da Secretaria de Educação;  Sharelene Rosa, coordenadora do Centro de Cidadania LGBT - Baixada I; Jô Lessa, guarda municipal e escritor; Hélio Batista, vereador de Quatis; Alessandra Ramos, coordenadora do grupo TransRevolução; Alessia Almeida, conselheira do Conselho dos Direitos da População LGBT, Silmara de Oliveira Bernardo, da Secretaria Estadual de Trabalho e Renda e André Feijó, da Secretaria de Saúde.

Durante a sua fala no lugar de honra das autoridades, Cláudio Nascimento lembrou que travestis e transexuais integram uma parcela da população que sempre foi marginalizada e estereotipada. “Esta campanha mostra travestis, homens e mulheres trans na perspectiva de pessoas detentoras de direitos. Celebrar a visibilidade trans e pautar seu direitos é papel do Estado e nosso governo reconhece essas demandas com estratégias concretas, como apoio para retificação de nome social, atendimento nos casos de violência, além de outras demandas nos campos da saúde, trabalho e educação” justifica Cláudio Nascimento.

Para Júlio Moreira, presidente do Conselho dos Direitos da População LGBT do Rio de Janeiro, a ação educativa promove um diálogo com a sociedade: "O Conselho quer transformar as demandas da população LGBT em políticas públicas. As pautas da população trans têm avançado e essa campanha partiu de uma demanda dela. Essa ação é importante porque através dela realizamos um diálogo com a sociedade e é fundamental interiorizar esta iniciativa".

O chefe de Gabinete do Comando Geral da Polícia Militar, coronel Ibis, destacou que uma iniciativa como esta fortalece o estado democrático e de direito: "Avançamos sim, mas ainda temos muito o que caminhar. Um evento tão humano como esse renova a  vontade de continuar lutando. Democracia não combina com desrespeito".

A mensagem da ação educativa também foi ressaltada pela secretária de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Teresa Cristina Cosentino, que destacou o lado humano da ação e  ressaltou a importância de “construir uma cultura de paz e direitos humanos através da construção de uma cultura de respeito”.

A Ação Educativa de Visibilidade e Cidadania Trans, com o lema “Respeitar é...”, tem o apoio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Imprensa Oficial, Secretaria de Estado de Cultura, além de profissionais de comunicação, make e fotografia que também colaboraram com a iniciativa.

 

Informações para a imprensa

ASCOM / SuperDir – Programa Estadual Rio Sem Homofobia

Tels: 21 2284 2475 / 9 8158 9715

Natália Vitória e Letícia Reitberger – Target Assessoria de Comunicação