Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 17/11/2014

Programa Estadual Rio Sem Homofobia promove atendimento à população durante a 19ª Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro

Milhares de cidadãos passaram pela tenda do Rio Sem Homofobia montada na Orla de Copacabana.

Desde às 9h da manhã a equipe do Programa Estadual Rio Sem Homofobia ocupava a Orla de Copacabana distribuindo materiais informativos para quem já circulava pela 19ª Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro. Uma equipe formada por psicólogos, assistentes sociais, advogados e técnicos dos quatro Centros de Cidadania LGBT existentes no estado, atendeu aos milhares de cidadãos que passaram pela grande tenda do programa.

Além de distribuir 100 mil preservativos, através da campanha "Discriminação é gol contra", o público recebeu orientações sobre o que fazer em casos de homofobia, racismo, violência de gênero e intolerância religiosa. O programa, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, foi um dos patrocinadores da passeata e levou também três trios elétricos para a Avenida Atlântica. Um destacando o programa Rio Sem Homofobia – pioneiro em ações e serviços públicos para a população LGBT, um segundo trio com a equipe e os serviços de atendimento à população LGBT promovido pelo Centro de Cidadania LGBT – Capital; e um terceiro trio com mensagens de combate a todos os tipos de intolerância, entre elas religiosa e por orientação sexual, parte do trabalho realizado através do Centro de Promoção Liberdade Religiosa e Direitos Humanos.

Cláudio Nascimento, superintende de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, um dos fundadores da passeata, destacou o crescimento da manifestação e a importância da união do poder público e movimentos sociais: "Temos participado com o Grupo Arco-Íris e todo o movimento social dessa parada que serve de inspiração para todas do Brasil. Mas é preciso trabalharmos juntos para cobrar do Congresso Nacional uma agenda em defesa da população LGBT e vote a legislação que criminaliza a homofobia. A violência contra gays, lésbicas, bissexuais e transexuais continua em patamares altos. Aqui no estado do Rio de Janeiro conseguimos implementar um conjunto de políticas públicas, através do Programa Rio Sem Homofobia, com serviços como o Disque Cidadania LGBT e os quatro Centros de Cidadania, que somente no ano de 2013, teve 25% do total de demandas relacionadas à violência homofóbica".

O secretário Nacional de Direitos Humanos, Paulo Abrão, defendeu o direito de amar livremente e destacou o poder de mobilização da sociedade: "É necessário que seja criminalizada toda e qualquer forma de discriminação. Precisamos de uma sociedade plural e que saiba conviver com as diferenças".

O secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, João Carlos Mariano Santana Costa, falou sobre a importância de uma manifestação como a parada e ressaltou o pioneirismo do Rio de Janeiro na criação de serviços de atendimento à população: "Estamos lutando para garantir uma sociedade mais igualitária, onde todos respeitem a diversidade. Nosso estado é pioneiro na prestação de serviços de atendimento à população LGBT através dos quatro Centros de Cidadania e do Disque Cidadania LGBT".

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, ONG responsável pela organização da Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro desde 1995, destacou a grande demonstração de respeito a diversidade: “A 19ª Parada do Orgulho LGBT – Rio, como todos os anos, pautou os direitos da população LGBT através de uma grande demonstração de respeito à diversidade. Tal como a típica descontração e irreverência dos participantes da marcha, vários serviços estiveram disponíveis como, pela primeira vez, a testagem rápida de hepatites e HIV com aconselhamento. Lembrando os casos de homofobia e a importância de combatê-los, o pai do jovem Lucas Fortuna, assassinado em 2012, homenageou a memória do filho e pediu que outros pais ‘saíssem do armário’. ".

A 19ª Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro reuniu um milhão de pessoas na praia de Copacabana, segundo a organização do evento.