Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 27/09/2013

Alto comando das polícias militar e civil planeja reforço na segurança durante as três maiores Paradas do Orgulho LGBT do estado

Programa Estadual Rio Sem Homofobia participou de reunião junto com coordenadorias LGBT municipais e organizações da sociedade civil responsáveis pela organização dos eventos

Na sede do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), aconteceu um encontro, na tarde da última segunda-feira (23), com organizações LGBT, órgãos das duas polícias e coordenadorias municipais que atuam na política de cidadania LGBT nos municípios do Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Niterói. O objetivo foi trocar informações sobre as para as três maiores Paradas do Orgulho LGBT do estado do Rio de Janeiro, realizadas nesses municípios, visando o planejamento de ações estratégicas de segurança. Estiveram presentes a Coordenadoria Municipal Especial da Diversidade Sexual (CEDS), da prefeitura do Rio de Janeiro, a Coordenadoria de Políticas e Promoção de Igualdade Racial e Direitos Humano (Comppird), da prefeitura de Duque de Caxias, e a Coordenadoria de Defesa dos Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (Copir), da Prefeitura de Niterói, e o comando das polícias civil e militar das três cidades. A reunião foi fruto de uma articulação do Rio Sem Homofobia, através da Superintendência de Direitos Individuais, coletivos e Difusos da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos com a Secretaria de Estado de Segurança, através da Subsecretária de Educação, Valorização e Prevenção, que também esteve presente.

No encontro também participaram representantes dos Centros de Cidadania LGBT e as organizações da sociedade civil responsáveis pela realização das Paradas. São elas: o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, do Rio de Janeiro, o Grupo Pluralidade e Diversidade, de Duque de Caxias, e o Grupo Diversidade Niterói. Os representantes de cada grupo expuseram para as autoridades estaduais, municipais e de segurança os principais pontos que preocupam os organizadores desses eventos, quando o assunto é o bem-estar e a segurança dos participantes.

O Grupo Pluralidade Diversidade, de Duque de Caxias, mostrou preocupação com o número de ocorrência envolvendo furtos no entorno da rua onde ocorre a Parada. As autoridades de segurança locais, representados pela equipe do 15º Batalhão de Polícia Militar e 59ª Delegacia de Policia, se comprometeram a prestar maior auxílio aos frequentadores da 8ª Parada do Orgulho LGBT do município, que será realizada no dia 29/09, aumentando o efetivo de policiais na rua. Em 2012, cerca de 120 homens, mais o batalhão de choque, fizeram a segurança do evento.

Em Niterói, a 9ª Parada do Orgulho LGBT ocorrerá no dia 06/10. O Delegado Titular da 77ª Delegacia de Polícia, localizada em Icaraí, reforçará o plantão na unidade e nas DPs do entorno. A Polícia Militar mostrou preocupação com grupos que possam causar transtornos aos presentes no evento e solicitou aos representantes do Grupo Diversidade Niterói que passem para a corporação quaisquer informações que obtiverem, referentes à manifestações que fujam do objetivo da Parada. Dessa forma, a PM poderá fazer um trabalho de prevenção. O comandante do 12° Batalhão de Polícia Militar reiterou que a corporação apoia a manifestação e que aumentará o número de policias na rua, durante o evento.

Para a maior Parada do Orgulho LGBT do estado, e segunda maior do país, a preocupação é garantir que os milhares de frequentadores saibam como proceder em casos de ocorrência. Júlio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris da Cidadania LGBT, destacou que, em muitos casos, os participantes não sabem o que fazer quando perdem ou tem seus documentos e pertences furtados. O comandante do 19° Batalhão de Polícia Militar e o delegado titular da 12ª Delegacia de Policia se comprometeram a reforçar o treinamento de suas equipes, para que orientem melhor àquelas pessoas que necessitem dos serviços da polícia. O delegado titular ressaltou que não é necessário que a pessoa vá imediatamente à delegacia fazer a ocorrência da perda ou furto dos seus pertences. Esse procedimento pode ser realizado após a Parada ou no dia seguinte.

Em comum, as autoridades de segurança dos três municípios mostraram preocupação com a dispersão dos participantes da Parada. As três organizações irão informar ao comando das polícias civil e militar de seus municípios os horários de término de cada Parada e os locais mais comuns para onde os presentes no evento se dirigem após seu término. Leriana Figueiredo, a Superintendente de Prevenção da Secretaria de Estado de Segurança, destacou a importância dessa reunião para o planejamento estratégico das Paradas: “é uma troca de experiências, com o objetivo de melhorar a atuação policial e a organização desses eventos. Aqui podemos entender melhor as particularidades de cada evento e se articular para garantir a segurança de tod@s”.

O superintende de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia afirmou que toda a população, independente da orientação sexual, tem direitos e deveres, que devem ser respeitados e cumpridos: “não podemos passar a mão na cabeça de ninguém, mas também devemos garantir que todos tenham seus direitos respeitados, sem discriminação”.

Todos os presentes no encontro comprometeram-se a participar de uma nova reunião de avaliação das Paradas, após a 18ª Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro, que acontece no dia 13 de outubro.

Informações para imprensa

Márcia Vilella | Felipe Martins | Natália Vitória

ASCOM SuperDir | SEASDH

(21) 2284-2475 | 8158-9692 | 7965-4313