Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 19/01/2012

A Secretaria de Estado de Saúde dia 17 de outubro, o Seminário

O evento, que reuniu 150 participantes entre profissionais e gestores de saúde da SES e da rede particular do Rio de Janeiro e municípios do Estado, foi uma iniciativa da Superintendência de Atenção Básica com o intuito de estimular o debate no delineamento, implantação e criação de políticas setoriais voltadas para a população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros).

- Este encontro é uma grande celebração desse momento histórico da sociedade em que podemos falar mais abertamente sobre a possibilidade de trabalhar as diversidades humanas. Muitos avanços foram feitos na Secretaria de Saúde nos últimos anos. Hoje temos uma área técnica bastante forte interligada com as outras secretarias do Estado – avaliou Monica Almeida, superintendente de Atenção Básica da SES-RJ.

O Seminário procurou contribuir para os debates da 2ª Conferência Estadual LGBT do Estado do Rio de Janeiro, que será realizado nos dias 18, 19 e 20 de novembro. Além disso, o evento foi incluído no Programa Rio sem Homofobia, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, que visa combater a discriminação e a violência contra LGBT e promover a cidadania dessa população em todo território fluminense, respeitando as especificidades desse grupo.

- Na prática, os homossexuais ainda sofrem toda sorte de preconceito em todas as esferas da sociedade. Na área da saúde não seria diferente. Ainda falta acesso à população LGBT. Por isso, é preciso conscientizar os gestores de saúde locais para a importância de articular políticas públicas que possam atender às necessidades dessa comunidade – defendeu Cláudio Nascimento, superintendente de Direitos individuais e Difusos da Secretaria de Estado Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH).

O superintendente acrescentou ainda que o seminário teve a importância de apontar para gestores de saúde da rede estadual e municipais quais as situações de discriminação precisam ser combatidas e as ações necessárias para a promoção à cidadania da população homossexual. Para Paulina Henriques Moutinho, representante do Conselho Municipal de Saúde de Duque de Caxias, o evento ofereceu uma ótima oportunidade de diálogo.

- Gostei das palestras, das mesas, de tudo. Um evento como esse poderia ser feito mais vezes - afirmou. Paulina só destacou que as próximas edições poderiam contar com a presença de mais pessoas da comunidade LGBT e de outros profissionais dos conselhos de saúde.

Abertura com estilo - Foi com solo do Hino Nacional entoado por Jane di Castro que a Secretaria de Estado de Saúde deu início aos debates do primeiro seminário voltado para a saúde da população LGBT.

Fonte: ASCOM da SES