Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 04/02/2013

Polícia Civil divulga plano de policiamento especial para a comunidade LGBT

Esquema, que será realizado até 21 de fevereiro, inclui orientação e distribuição de material educativo

Um café da manhã na sede da Polícia Civil, nesta segunda-feira (4/2), reforçou as orientações para o efetivo da corporação sobre o plano de policiamento preventivo e especializado para a comunidade LGBT, no carnaval. O esquema especial reafirma o compromisso com o Programa Estadual Rio Sem Homofobia. O encontro reuniu a chefe de Polícia Civil, Martha Rocha, o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, Cláudio Nascimento, e mais de 20 delegados.

A operação especial – com reforço do policiamento, montagem de tendas com equipes para orientação e distribuição de material educativo – se estenderá até o dia 21 de fevereiro em todo o estado, especialmente nos eventos com maior apelo para a comunidade LGBT. No Rio de Janeiro, as áreas que receberão mais atenção serão a região da Rua Farme de Amoedo, em Ipanema, e o entorno do Sambódromo. Além do Rio, as cidades de Cabo Frio, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Nova Iguaçu, Belford Roxo, Caxias, Maricá, Niterói e Macaé receberão policiamento especial.

– O carnaval é um marco simbólico, mas temos diversas ações de visibilidade para levar esta política de não discriminação no nosso estado. Nossa finalidade é que o Rio tenha um carnaval ao qual as pessoas possam vir, ser bem acolhidas e no qual não existam atos homofóbicos – disse Teixeira.

Durante o carnaval, será montada uma tenda na Central do Brasil, com advogados, psicólogos e assistentes sociais, para atender a vítimas de homofobia. Além disso, cerca de 50 promotores de cidadania vão distribuir, em blocos, aglomerações, bailes e afins 200 mil panfletos educativos com informações objetivas sobre como se prevenir da homofobia, o que fazer em caso de violência e quais são os principais serviços que a comunidade LGBT pode procurar no período de folia. Os panfletos são resultado de uma parceria entre as secretarias de Segurança e de Assistência Social.

– Nosso plano de policiamento já acontece há quatro anos, mas este processo vem se aperfeiçoando. É um tripé da cidadania, que tem campanha de prevenção, policiamento preventivo e diferenciado e serviços de atendimento à comunidade LGBT. O Rio de Janeiro ainda é o único estado do país que tem um plano como este – afirmou Claudio Nascimento.

Nas últimas semanas, cerca de 200 policiais militares receberam capacitação para o plano de policiamento especial. Nos últimos cinco anos, foram capacitados cerca de cinco mil policiais civis e militares.