Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 01/02/2013

Programa Estadual Rio Sem Homofobia capacita mais de 80% do efetivo da polícia militar de Copacabana

Na manhã de ontem (quinta-feira, 31) cerca de 80 PMs participaram da segunda etapa do projeto “Rio sem homofobia e com mais segurança” na sede do 19º BPM. A iniciativa é uma parceria da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e da Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Segurança.

Com a realização da segunda capacitação, o Programa Estadual Rio Sem Homofobia atingiu 80% do efetivo. Em novembro de 2012, na primeira etapa, foram capacitados 100 policiais e agora mais outros 80, de um contingente no batalhão de 230 profissionais. Os policiais assistiram à palestra do superintende de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, que tratou sobre a abordagem policial junto à população LGBT, noções de sexualidade, identidade de gênero, aspectos legais, serviços de proteção dos direitos e discriminações.

Cláudio Nascimento falou sobre a participação e a importância do trabalho dos policiais militares na sociedade: “O policial militar é o primeiro, que está na ponta do atendimento, então é necessário qualificarmos mais ainda este grupo para que consigamos tê-los como agentes protetores de direitos humanos. O que tivemos hoje aqui foi uma demonstração muita rica de atenção e envolvimento. Muitos policiais fizeram perguntas e participaram diretamente. Só com informação vamos gerar novas mentalidades e pessoas sensibilizadas para o respeito, a cidadania e o combate a homofobia”.

O tenente coronel Claudio Costa, Comandante do 19º BPM, destacou que é preciso respeitar o cidadão: “Pra nós, policiais militares, que trabalhamos com diversos tipos de ocorrência, dentre elas as da população LGBT, é importante saber e ter conhecimento de alguns dados que foram passados na palestra como a questão da orientação sexual e identidade de gênero. Por isso essa iniciativa é muito positiva e esperamos que a outras unidades também possam passar por essa qualificação”.

Para a superintendente de prevenção da Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Segurança, Leriana Figueiredo, a realização da capacitação em Copacabana é um exemplo da importância de um trabalho de educação continuada na segurança pública: “Fazer essa capacitação aqui, especificamente para este local, representa ter atingido majoritariamente o efetivo da corporação que passa a estar agora mais instrumentalizado, mais apropriado de uma temática tão específica e importante. A partir daqui conseguiremos demonstrar para outras instituições a importância do trabalho e que isso também se internalize no âmbito da segurança pública - tanto num processo de educação continuada quanto numa nova cultura de profissionalização e qualificação da polícia”.