Página inicial / notícias / leis e direitos / governo do rio de janeiro

Notícias

Publicado em 31/01/2013

RIO SEM HOMOFOBIA CELEBRA DIA DA VISIBILIDADE TRANS

Solenidade realizada na sede da secretaria reuniu autoridades, travestis e transexuais

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Diretos Humanos (SEASDH), por meio da Superintendência de Direitos Individuais, Difusos e Coletivos (SUPERDIR), realizou, na terça-feira (29), uma celebração pelo Dia da Visibilidade Trans. A solenidade foi realizada na sede da superintendência e reuniu autoridades e diversos travestis e transexuais. Na ocasião, o Governo do Estado lançou a campanha ‘TRANS – Transforme, Respeite, Apoie, Não Discrimine, Somos seres humanos’.

Durante a celebração, o secretário Zaqueu Teixeira anunciou a realização de um grande evento para marcar a data no ano que vem.

“É uma enorme satisfação estar aqui fazendo a abertura dessa campanha. O nosso compromisso é termos, efetivamente, um Rio sem homofobia. E eu já quero deixar uma incumbência para a superintendência: nós vamos trabalhar ao longo desse ano para que no dia 29 de janeiro de 2014 nós tenhamos um projeto que possa dar concretude e visibilidade àquilo que sabem fazer de melhor. A Jane Di Castro deu um show aqui e nós temos que produzir um grande show no ano que vem para marcar a data, com vários artistas trans do nosso estado, para que as pessoas percebam que essa diversidade é benéfica, porque o nosso Rio é isso, é um Rio acolhedor, um Rio da diversidade, em que todos têm que ter uma convivência harmônica”, disse Zaqueu.

O superintendende de Direitos Individuais, Difusos e Coletivos, Cláudio Nascimento, reafirmou o compromisso da SEASDH na manutenção de todos os serviços oferecidos pelo programa Rio Sem Homofobia, sem risco de descontinuidade das ações dos Centros de Referência e do Disque Cidadania LGBT, e anunciou a ampliação dos centros.

“Cidadania não tem roupa certa. Estamos falando de um grupo de cidadãos que durante muito tempo foi tratado como de segunda classe. Hoje fiz questão que três gestoras públicas, trans, falassem nesse evento para mostrar que trans são capazes de enfrentar com técnica e qualificação profissional o preconceito e a discriminação. Não podemos nos furtar disso - nós, LGBTS queremos espaços no poder para fazer avançar a luta contra a discriminação à transexuais. E não tenho medo de dizer isso claramente, pois não podemos aceitar o preconceito e vamos mostrar que temos capacidade para conduzir a política pública estadual para a promoção da cidadania LGBT, com o importante apoio do nosso secretário Zaqueu Teixeira e o governador Sérgio Cabral”, destacou Cláudio.

A subsecretária de Assistência Social e Descentralização da Gestão, Nelma de Azeredo, destacou os avanços já conquistados para essa população, mas ressaltou que o desafio ainda é grande: “Já são enormes os avanços conquistados na promoção dos direitos e da cidadania para travestis e transexuais e a presença do Cláudio Nascimento na SuperDir e no Programa Estadual Rio Sem Homofobia foi essencial para que tudo isso fosse realizado. Mas ainda há muito o que fazer. Transexuais e travestis devem ser tratad@s como seres humanos e cidadãos de direitos”.

O evento foi aberto pela cantora Jane Di Castro, que fez uma breve apresentação e falou da felicidade de celebrar o Dia da Visibilidade Trans.

“Eu me sinto muito honrada de estar aqui representando @s transexuais e travestis do Rio de Janeiro. É muito legal ver o Dia da Visibilidade Trans crescer a cada ano. Eu sou militante do movimento trans desde os anos 50, estou vendo que as coisas estão evoluindo e isso é muito bacana. Hoje eu vejo a felicidade d@s nov@s transexuais, tendo a oportunidade de poder discutir esse assunto, sendo homenageados e fico feliz porque na minha época nós não tínhamos a quem nos queixar, não tínhamos o direito de fazer uma reunião como essa com pessoas tão importantes, porque nós éramos até proibidas de passar aqui na porta da Central do Brasil, nós éramos presas só por ser homossexuais", declarou.

Majorie Marchi, assessora técnica do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, destacou a importância de travestis e transexuais que fizeram história no estado do Rio de Janeiro: “estou muito emocionada de estar aqui celebrando mais um Dia da Visibilidade Trans. Gostaria de agradecer a todas as travestis e transexuais que durante anos lutam pela nossa cidadania e pelos nossos direitos. Hoje, somos reconhecidas no nosso estado e isso é resultado de anos de militância”.

Servidora da SUPERDIR, Denise Taynáh França falou da importância de lutar pelos seus direitos.

“Eu tenho 63 anos e vivi 50 anos dentro do armário porque tinha um pai castrador, repressor e machista, e nesse momento eu agradeço às pessoas que me ajudaram a mudar do masculino para o feminino e que me deram oportunidade de crescer. Agradeço em especial às pessoas que me apresentaram um novo mundo, o da militância, o mundo de lutar por nós, travestis e transexuais. Em um outro momento eu tive a oportunidade de vir trabalhar na Superintendência e de prestar serviço. Estou falando isso para mostrar a outr@s travestis e transexuais que, se olharem para frente, se tirarem os antolhos e procurarem evoluir, buscarem um mundo melhor, a gente tem condição de chegar lá. Não adianta só ficar chorando, se lamentando. Temos que botar a cara”, contou Denise Taynáh.

Sharlene Rosa, coordenadora do Centro de Referência da Cidadania LGBT Baixada I, reafirmou a importância de existirem políticas públicas para as trans: “Devemos reconhecer os avanços já conquistados com as políticas públicas voltadas para LGBT. Essas políticas garantem que os nossos direitos sejam respeitados e são importantes ferramentas de defesa, principalmente para as travestis e transexuais, que ainda são as que mais sofrem com a homofobia. O direito do uso do nome social nos atos e procedimentos do governo, por exemplo, é uma grande conquista, mas precisamos avançar mais”.

A solenidade contou ainda com a presença da diretora do Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos da Defensoria Pública, Luciana Motta; a diretora da Academia de Polícia Civil, Jéssica Almeida; a superintendente de Ensino e Prevenção da Secretaria de Estado de Segurança, Leiriana de Figueiredo; dos membros do Conselho Nacional de Combate à Discriminação LGBT da Presidência da República Carlos Alves e Ione Lindgen; e do presidente do Conselho Estadual LGBT do Rio de Janeiro, Júlio Moreira.

Também participaram do coquetel várias autoridades, como Ana Costa (Coordenadora de Políticas Públicas para LGBT de Belford Roxo) e  lideranças travestis e transexuais, entre elas Fabby Blanche, Fabiana Brasil, a Miss T 2012 Marcella Ohio, e a atriz Cláudia Celeste.

Veja a campanha na nossa página do facebook.

Texto: Site SEASDH

 

Informações para imprensa:

Assessoria de Comunicação SuperDir | SEASDH

Márcia Vilella | Felipe Martins | Natália Vitória

(21) 2284 2475 | 8158-9692 | 7965-4313